As principais causas femininas são:

Ovarianas:

Alterações referentes às disfunções patológicas que afetam o desenvolvimento, amadurecimento e expulsão do óvulo. Entre as principais destacam-se a Síndrome dos Ovários Policísticos, alterações reoidianas e a hiperprolactinemia.

Outra causa importante é a falência ovariana, que é considerada precoce quando ocorre antes dos 40 anos. É sabido que a quantidade de óvulos que a mulher possui é determinada antes de seu nascimento, e ocorre uma perda progressiva e inevitável destes óvulos ao longo da vida, até o momento em que essa perda é total e definitiva. Fatores genéticos e ambientais, além de hábitos de vida como o tabagismo, podem acelerar a perda do patrimônio ovariano.

Tubárias:

Alterações referentes ao transporte e captação dos espermatozóides e óvulos, no ambiente da fecundação e no transporte do pré-embrião até o útero. A doença inflamatória pélvica, principalmente causada por Chlamydia e Gonococo, e doenças inflamatórias como endometriose, são responsáveis pelo desenvolvimento de aderências pélvicas e consequente obstrução das trompas.

Uterinas:

Alterações na anatomia do útero que levam a um prejuízo do transporte, capacitação do espermatozóide e sua receptividade ao embrião. Assim, miomas, pólipos endometriais, sinéquias uterinas (“cicatrizes” uterinas após curetagem) e deformidades congênitas da cavidade endometrial (septo uterino, útero bicorno, útero didelfo), estão relacionadas às causas uterinas.

Imunológicas:

Referentes às condições de reconhecimento, adaptação e proteção dos gametas, fecundação, implantação e desenvolvimento do embrião.

Infertilidade sem causa aparente (ISCA)Cerca de 10% dos casais não apresentam causa aparente de infertilidade, mesmo após serem submetidos a rigorosos exames investigativos. Assim, não se considera a infertilidade sem causa aparente como relacionada ao indivíduo, mas ao casal como unidade reprodutora. Muitas vezes, apenas quando submetidos a Técnicas de Reprodução Assistida, podemos diagnosticar nestes casais fatores relacionados aos gametas que até então eram obscuros nos exames rotineiros.